«Operação Almonda» analisa situação das ações de fiscalização

  • Imprimir

 

Decorreu a 29 de outubro, na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, pelas 15 horas, uma reunião para análise do ponto de situação da «Operação Almonda» que promove a fiscalização à poluição no rio.

 

Estiveram presentes representantes das entidades envolvidas: município de Torres Novas, APA (Agência Portuguesa do Ambiente), ICNF (Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas), ARH Tejo (Administração da Região Hidrográfica do Tejo), AR (Águas do Ribatejo) e GNR/SEPNA (Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente).


As ações de inspeção em curso visam identificar as fontes de poluição que tanto têm degradado a qualidade do rio. Um assunto que sempre preocupou as entidades com competência fiscalizadora, auxiliadas no terreno pela GNR, existindo registos, desde longa data, de autos de contra-ordenação levantados por incumprimento da lei vigente. O problema é abordado atualmente com maior repercussão pública resultante de uma cada vez maior consciencialização ambiental e de consequente reforço de meios de atuação por parte das entidades responsáveis.


Entretanto, como resultado das ações de fiscalização realizadas este ano, pela GNR, técnicos da ARH e APA foi determinada a suspensão da licença de descarga de efluentes industriais de uma fábrica do concelho, devido à poluição detetada no Ribeiro do Serradinho, afluente do rio Almonda. A empresa viu-se obrigada pela APA a proceder à instalação de nova tubagem à superfície entre a caixa de visita à saída da ETAR e o ponto de descarga na linha de água, bem como à desativação do órgão de descarga existente.


A Águas do Ribatejo tem previstos, e em curso, avultados investimentos na despoluição do rio Almonda, tendo já em funcionamento os novos sistemas de tratamento de águas residuais de Riachos e Torres Novas que permitem tratar a água e devolve-la ao rio com qualidade, contribuindo para uma maior sustentabilidade ambiental de toda a bacia do Almonda. O esforço vai agora no sentido de criar condições para que as empresas tratem os seus efluentes industriais em sistemas próprios ou nas Etar's  existentes, desde que, com o pré-tratamento adequado.


A bacia do Rio Almonda tem sido, ao longo dos anos, alvo preferencial de episódios causados por focos de poluição com diferentes origens pelo que a «Operação Almonda» tem como missão, unindo esforços de todas as entidades com atribuições na matéria, identificar responsabilidades e eliminar as fontes poluentes.

 

20151029 155900 004

Os cookies ajudam ao correto funcionamento deste sítio.Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a sua utilização. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies